Covid-19 pode se manifestar com sintomas estomacais nas crianças





Apesar da maioria dos casos por Covid-19 ser entre os jovens, adultos e idosos, as crianças também não estão livres dessa doença que vem matando muita gente no mundo. Mesmo não sendo do grupo de risco, as crianças podem ser contaminadas e não apresentarem nenhum sintoma e acabar transmitindo para um grande número de pessoas. 

Em estudo recente publicado no periódico Frontiers in Pediatrics, sugeriu que os sintomas nas crianças pode ser diferente dos sintomas apresentados por adultos, como problemas respiratórios. Nas crianças, os primeiros sinais aparecem no estômago. 

Em Wuhan, cidade onde começou o surto de coronavírus em dezembro de 2019, 5 crianças com idade entre 2 meses a 5 anos chegaram ao hospital infantil apresentando problemas gastrointestinais como diarreia, vômito, dor abdominal e falta de apetite.

Embora não houvesse os sintomas clássicos, como o coronavírus já estava presente na população, foram feitos exames de tomografia e todas as crianças foram diagnosticadas com um vírus. Para saber se era mesmo o coronavírus, as crianças também receberam testes moleculares do tipo PCR e todos os resultados deram positivo.

Entre os cinco casos, um deles era de um menino de 1 ano de idade que testou 2 vezes negativo e na terceira vez o teste deu positivo. Os médicos ficaram na dúvida se a criança poderia ter sido infectada no hospital.

Mas os outros quatro casos tinham em comum que as crianças já sofriam com outros problemas de saúde, como hemorragias e apendicite, antes de chegarem ao hospital. Uma das crianças acabou falecendo por falência múltipla dos órgãos.


Todos esses casos foram publicados em um artigo no dia 12 de maio e revisado por especialistas. O artigo reforça que em crianças a letalidade é baixa, por isso as infectadas não costumam apresentar sintomas. 

Esse estudo serve para os pais como orientação principalmente na hora de levar ao hospital. Ele orienta que os pais evitem levar as crianças ao hospital em caso de sintomas, exceto em dificuldade de respirar ou em emergências reais.

Mas, como não existe certeza, o melhor é prevenir. Se seu filho estiver com problemas estomacais que são incomuns, ligue para o centro de saúde mais próximo para ter orientações e passe a isolar a criança em casa, mantendo todos os cuidados de higiene necessários. Apenas se o quadro se agravar, a criança deve ser tirada de casa e levada ao hospital ou centro de saúde.

Com informações do site Dicas Online